FANDOM


O texto atual Editar

ㅤㅤNós, representantes do povo Bruxo Mundial, reunidos em Convenção Internacional para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade Bruxa fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção dos deuses, segue o Estatuto da Magia, um Conjunto de Normas que visão a melhor dinamica da Sociedade Bruxa do Mundo.

● Originalmente Criando em 5/1/06 por Hans Jordan Howell

Modificações posteriores:

13/06/06 por Adrian Howell 16/10/06 por Adrian Howell 15/06/08 por Adrian Howell 10/05/09 pelo Supremo Conselho Bruxo [formação 1]

                       Titulo I

            - Dos principios Fundamentais -


Art.1º - O participante da comunidade estará participando de uma História, co-relacionada com um Universo e com Regras. Todos os jogadores Bruxos devem se registrar, sem exceção. Jogadores não registrados, não poderão ter ações válidas.

Art.2º - Não é tolerado nenhum tipo de ofença, xingamento ou qualquer coisa do gênero. Tanto aos Offs quantos aos Ons. Discriminação quanto ao estilo do jogador também é proibido sob pena de expulsão.

Art.3º - A História deste RPG está centrada em Proporcionar e simular cenários para a evolução de um Enredo voltado a temas sobrenaturais, seja bruxos de HP, Charmed, Avatar, vampiros e Lobisomens, etc. A temática da história irá variar conforme as preferencias da Administração e obviamente dos jogadores.

I - O Ministério da Magia tem relação com Londres, Inglaterra e outros cenários não Bruxos (Trouxa/Muggle) e as histórias deles influênciam na da Sociedade Bruxa e Vice-versa

Art.4º - É de suma importancia que todos os jogadores saibam diferenciar On de Off. Não trazer problemas de um para outro.

Art.5º - Os jogadores deveram saber intrepretar o contexto geral do cenário, entrar no clima da história e se envolver de tal modo como quando se lê um livro.

                   Titulo II

            - Da Dinamica Política -


Art.6º - O Ministério da Magia é um braço do Governo Britânico, como já previsto nos livros de JKR faz parte do Conselho de Ministros. Toda vez que um novo ministro da magia é escolhido, este deve se apresentar ao lider Muggle.

Art.7º - O Ministro da Magia é o mais alto cargo do ministério, suas decisões são tidos ao nível de Decreto e só pode ser revogado se a maioria ou todos os Chefes de Departamento achar necessário.

Art.8º - O Ministro da Magia é escolhido ou demitido pelo Primeiro Ministro Muggle ou por votação do Conselho Bruxo, dependendo do caso e da preferencia dos trabalhadores do ministério que puderem comprovar sua participação no RPG.

Art.9º - Por meio desta, só poderá assumir a titulação de Ministro da Magia pessoas nascidas em solo Britânico e estiverem de acordo com o Bom Senso de personagem e RPG.

paragráfo único: De acordo com o "Principio da Retroatividade da Lei" os casos de ministros já vigentes ou os passados não estão sussetiveis a essa lei.

Art.10º - Um novo ministro será eleito a cada três meses, o que equivale a três anos off. Independente de qualquer situação de progresso. Estima-se que seja em Janeiro, Abril, Julho e Outubro e assim sucessivamente.

Art.11º - O atual ministro está sumariamente impedido de se reeleger. Por meio desta a reeleição está proibida.

Art.12º - Caso do Ministro da Magia estiver envolvido em denuncias de corrupção comprovadas pelo Departamento de Execução das leis da Magia,a partir dessa moção ele pode ser retirado do cargo e o próximo na hierarquia tomara seu lugar pelo tempo do mandato previsto no art. 10.

Art.13º - Se qualquer trabalhador do Ministério, estando incluso o Ministro da Magia ou os chefes de Departamento, não postarem ou manifestarem trabalho efetivo por mais de um mês, estão automaticamente demitidos.

Art.14º - Como o Ministro da Magia não é um chefe de Estado nem Governo, não pode haver golps de Estado. Se o Ministro for assassinado ou "derrubado" de alguma forma, o Governo Não-Bruxo pode intervir e controlar a situação estando superiores na hierarquia Governamental.

                       Titulo III

                      - Das Leis -


Art.15º - O Instatuto da Magia consta nas leis básica da Inglaterra - RPG, e detem total poder e autoridade, sendo a "Lei Suprema" da magia, não podendo ser nunca revogado o que aqui está inscrito. Os chefes de Dpt. e o Ministro podem complementar apenas.

Art.16º - Todas as leis propostas pelos Chefes de Departamentos devem ser cumpridas, em caso de descomprimento ocorrerá prisão ou punição.

Art.17º - Em caso de Guerra ou conflito internacional grave,o Ministro da Magia pode fazer uso dessa Parte da Seção Constitucional para ativar este Departamento e convocar os bruxos maiores de 14 anos para servir pelo país.

Art.18º - Conforme determinado pela confederação Internacional Bruxa, há o Estatuto do Sigilo. Se este estatuto,que protege os bruxos dos olhares do mundo trouxa for quebrado, o culpado será imediatamente condenado e o Ministro da Magia irá aplicar a punição, a pessoa será acusada de traição.

Art.19º - As leis já previstas naõ podem ser mudadas, quando houver novo Ministro, ele pode acrescentar leis, jamais revogar

                       Titulo IV

            - Das relações Internacionais -


Art.20º - Nenhuma lei externa é valida em territorio inglês. Este contém leis proprias e bem ajustadas à sua população.Se o réu for inglês, eles sofrera a penalidade da lei inglesa independente de onde esteja.

Art.21º - É expressamente proibido trabalhar neste ministério e em outro ao mesmo tempo, sendo considerado alta-traição. Não importa as condições, se for outro RPG, a situação é pior ainda e implica demissão direta caso não abdica da outra função.

Art.22º - De acordo com "O principio da Nacionalidade" o jogador deve escolher uma pátria e dedicar-se a ela, mas nada impede que trabalhem ou morem fora do país, contanto que quando necessário atendam ao chamado da Pátria.

                       Titulo V

              - Da Economia e Moradia -


Art.23º - Todas as funções economicas ficam designadas ao Governo Muggle, dito como Ministério da Economia.

Art.24º - O Ministério da Magia pode nomear um interventor para assuntos mágicos.

Art.25º - As funções de Moradia são pertinentes ao Governo muggle.

                       Titulo VI

                     - Da Magia -


Art.26º - Tem-se por convenção o uso das magias antigas, invocadas por palavras em latim. Com ou sem o uso de magia. Para usar magia sem varinha é necessário teste e aprovação do Ministério.

I - Aceita-se dons Paranormais, contanto que sejam moderados e não extrapolem a razão e o Bom-Senso.

II - Xamanismo e outros tipos de Magia serão postos a avaliação pelo Ministro da Magia.

Art.27º - O Ministério é DA MAGIA e só regulamenta as noções de magia. Vampiros, Lobisomens e poderes ditos "Mutantes" ou tecnologias acima do nosso tempo não serão permitidas Dentro do Ministério.

I - O Ministro da Magia pode pedir ao Chefe de Governo Muggle que controle esses excessos não mágicos.

II - O Ministério pode prender e punir qualquer ser que não seja Bruxo que venha a causar problemas a um bruxo. (Vampiros, Lobisomens, etc).

Art.28º - Itens mágicos perigosos podem ser apreendidos pelo Ministério se houve uma denuncia. Se eventualmente um jogador for usar um Item mágico no Ministério deverá avisar por Off a moderação ou avisar na cena que esta portando-o mas não usar.

Paragráfo único - É proibido inventar itens vindo do nada no meio de uma ação. Todo item deve ser adquirido numa jogada pelo menos 24 h de ser usado.

                            Titulo VII                      - Das Criaturas e Seres -


Art.29º- Todo aquele que tiver capacidade de compreensão das leis gerais, é considerado “ser”, sendo assim, todo aquele que não tiver capacidade de compreensão, é considerado “criatura”; não havendo restrições de leis para ambos, todo e qualquer ser ou criatura que representar alta periculosidade para o meio social, está sujeito à aplicação das mesmas.

Art.30º- As criaturas de baixo entendimento que apresentarem perigo sobre qualquer hipótese a menos que esteja, por instinto, preservando sua espécie e /ou protegendo o habitat natural, está sujeita a ser levada à morte ou castigo; o último será decidido individualmente.

Art.31º- Em casos de incidentes domésticos, não há exceção quanto às leis fazendo assim com que o portador da criatura tenha por obrigação, arcar com as conseqüências quanto a cuidados hospitalares e à prisão por tempo indeterminado por negligência em casos de morte.

Art.32º- Os seres mágicos, por terem ciência de seus atos, estão sujeitos à pena de morte em casos de ataques violentos que levem a morte de todo aquele ser que estiver presente no meio social, em casos à parte, como vampiros ou outros que necessitem praticar atos ilícitos para sua sobrevivência, o caso será analisado parcialmente.

Art.33º- Os mesmo estão sujeitos à serem levados à morte ou a prisão em todo e qualquer momento que apresentem hostilidade e/ ou periculosidade, estando a partir de então, sob jurisdição do Ministério da Magia que não se responsabilizará caso o acusado tenha sido atacado por terceiros sob o ato de defesa pessoal.

Nota: Originalmente escrito por Lucius Malfoy[1]. Simplesmente eu dividi por artigos. Créditos e Méritos somente para ele.

O texto Original Editar

ㅤㅤNós, representantes do povo Britânico, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção dos deuses, segue o Instatuto da Magia, um Conjunto de Normas e Leis que visão a melhor dinamica da Sociedade Bruxa do Reino Unido e territórios.

● Originalmente Criando em 5/1/06 por Hans Jordan Howell

Modificações posteriores:

13/06/06 por Hans Jordan Howell 16/10/06 por Hans Jordan Howell 15/06/08 por Hans Jordan Howell

                       Titulo I

            - Dos principios Fundamentais -


Art.1º - O participante da comunidade estará participando de uma História, co-relacionada com um Universo e com Regras. Todos os jogadores Bruxos devem se registrar, sem exceção. Jogadores não registrados, não poderão ter ações válidas.

Art.2º - Não é tolerado nenhum tipo de ofença, xingamento ou qualquer coisa do gênero. Tanto aos Offs quantos aos Ons. Discriminação quanto ao estilo do jogador também é proibido sob pena de expulsão.

Art.3º - A História deste RPG está centrada em Proporcionar e simular cenários para a evolução de um Enredo voltado a temas sobrenaturais, seja bruxos de HP, Charmed, Avatar, vampiros e Lobisomens, etc. A temática da história irá variar conforme as preferencias da Administração e obviamente dos jogadores.

I - O Ministério da Magia tem relação com Londres, Inglaterra e outros cenários não Bruxos (Trouxa/Muggle) e as histórias deles influênciam na da Sociedade Bruxa e Vice-versa

Art.4º - É de suma importancia que todos os jogadores saibam diferenciar On de Off. Não trazer problemas de um para outro.

Art.5º - Os jogadores deveram saber intrepretar o contexto geral do cenário, entrar no clima da história e se envolver de tal modo como quando se lê um livro.

                   Titulo II

            - Da Dinamica Política -


Art.6º - O Ministério da Magia é um braço do Governo Britânico, como já previsto nos livros de JKR faz parte do Conselho de Ministros. Toda vez que um novo ministro da magia é escolhido, este deve se apresentar ao lider Muggle.

Art.7º - O Ministro da Magia é o mais alto cargo do ministério, suas decisões são tidos ao nível de Decreto e só pode ser revogado se a maioria ou todos os Chefes de Departamento achar necessário.

Art.8º - O Ministro da Magia é escolhido ou demitido pelo Primeiro Ministro Muggle ou por votação do Conselho Bruxo, dependendo do caso e da preferencia dos trabalhadores do ministério que puderem comprovar sua participação no RPG.

Art.9º - Por meio desta, só poderá assumir a titulação de Ministro da Magia pessoas nascidas em solo Britânico e estiverem de acordo com o Bom Senso de personagem e RPG.

paragráfo único: De acordo com o "Principio da Retroatividade da Lei" os casos de ministros já vigentes ou os passados não estão sussetiveis a essa lei.

Art.10º - Um novo ministro será eleito a cada três meses, o que equivale a três anos off. Independente de qualquer situação de progresso. Estima-se que seja em Janeiro, Abril, Julho e Outubro e assim sucessivamente.

Art.11º - O atual ministro está sumariamente impedido de se reeleger. Por meio desta a reeleição está proibida.

Art.12º - Caso do Ministro da Magia estiver envolvido em denuncias de corrupção comprovadas pelo Departamento de Execução das leis da Magia,a partir dessa moção ele pode ser retirado do cargo e o próximo na hierarquia tomara seu lugar pelo tempo do mandato previsto no art. 10.

Art.13º - Se qualquer trabalhador do Ministério, estando incluso o Ministro da Magia ou os chefes de Departamento, não postarem ou manifestarem trabalho efetivo por mais de um mês, estão automaticamente demitidos.

Art.14º - Como o Ministro da Magia não é um chefe de Estado nem Governo, não pode haver golps de Estado. Se o Ministro for assassinado ou "derrubado" de alguma forma, o Governo Não-Bruxo pode intervir e controlar a situação estando superiores na hierarquia Governamental.

                       Titulo III

                      - Das Leis -


Art.15º - O Instatuto da Magia consta nas leis básica da Inglaterra - RPG, e detem total poder e autoridade, sendo a "Lei Suprema" da magia, não podendo ser nunca revogado o que aqui está inscrito. Os chefes de Dpt. e o Ministro podem complementar apenas.

Art.16º - Todas as leis propostas pelos Chefes de Departamentos devem ser cumpridas, em caso de descomprimento ocorrerá prisão ou punição.

Art.17º - Em caso de Guerra ou conflito internacional grave,o Ministro da Magia pode fazer uso dessa Parte da Seção Constitucional para ativar este Departamento e convocar os bruxos maiores de 14 anos para servir pelo país.

Art.18º - Conforme determinado pela confederação Internacional Bruxa, há o Estatuto do Sigilo. Se este estatuto,que protege os bruxos dos olhares do mundo trouxa for quebrado, o culpado será imediatamente condenado e o Ministro da Magia irá aplicar a punição, a pessoa será acusada de traição.

Art.19º - As leis já previstas naõ podem ser mudadas, quando houver novo Ministro, ele pode acrescentar leis, jamais revogar

                       Titulo IV

            - Das relações Internacionais -


Art.20º - Nenhuma lei externa é valida em territorio inglês. Este contém leis proprias e bem ajustadas à sua população.Se o réu for inglês, eles sofrera a penalidade da lei inglesa independente de onde esteja.

Art.21º - É expressamente proibido trabalhar neste ministério e em outro ao mesmo tempo, sendo considerado alta-traição. Não importa as condições, se for outro RPG, a situação é pior ainda e implica demissão direta caso não abdica da outra função.

Art.22º - De acordo com "O principio da Nacionalidade" o jogador deve escolher uma pátria e dedicar-se a ela, mas nada impede que trabalhem ou morem fora do país, contanto que quando necessário atendam ao chamado da Pátria.

                       Titulo V

              - Da Economia e Moradia -


Art.23º - Todas as funções economicas ficam designadas ao Governo Muggle, dito como Ministério da Economia.

Art.24º - O Ministério da Magia pode nomear um interventor para assuntos mágicos.

Art.25º - As funções de Moradia são pertinentes ao Governo muggle.

                       Titulo VI

                     - Da Magia -


Art.26º - Tem-se por convenção o uso das magias antigas, invocadas por palavras em latim. Com ou sem o uso de magia. Para usar magia sem varinha é necessário teste e aprovação do Ministério.

I - Aceita-se dons Paranormais, contanto que sejam moderados e não extrapolem a razão e o Bom-Senso.

II - Xamanismo e outros tipos de Magia serão postos a avaliação pelo Ministro da Magia.

Art.27º - O Ministério é DA MAGIA e só regulamenta as noções de magia. Vampiros, Lobisomens e poderes ditos "Mutantes" ou tecnologias acima do nosso tempo não serão permitidas Dentro do Ministério.

I - O Ministro da Magia pode pedir ao Chefe de Governo Muggle que controle esses excessos não mágicos.

II - O Ministério pode prender e punir qualquer ser que não seja Bruxo que venha a causar problemas a um bruxo. (Vampiros, Lobisomens, etc).

Art.28º - Itens mágicos perigosos podem ser apreendidos pelo Ministério se houve uma denuncia. Se eventualmente um jogador for usar um Item mágico no Ministério deverá avisar por Off a moderação ou avisar na cena que esta portando-o mas não usar.

Paragráfo único - É proibido inventar itens vindo do nada no meio de uma ação. Todo item deve ser adquirido numa jogada pelo menos 24 h de ser usado.

Emendas Editar

Emenda Nº 1 - É proibido criar tópicos sem autorização da moderação

Emenda nº2 Admite-se a existencia de seres não-bruxos mas com poderes. É de responsabilidade deste ministério somente bruxos, magos e feiticeiros, seres que usam magia. Para tal, todos os bruxos devem ser registrados.

N°3                             Titulo VII

                     - Das Criaturas e Seres -


Art.29º- Todo aquele que tiver capacidade de compreensão das leis gerais, é considerado “ser”, sendo assim, todo aquele que não tiver capacidade de compreensão, é considerado “criatura”; não havendo restrições de leis para ambos, todo e qualquer ser ou criatura que representar alta periculosidade para o meio social, está sujeito à aplicação das mesmas.

Art.30º- As criaturas de baixo entendimento que apresentarem perigo sobre qualquer hipótese a menos que esteja, por instinto, preservando sua espécie e /ou protegendo o habitat natural, está sujeita a ser levada à morte ou castigo; o último será decidido individualmente.

Art.31º- Em casos de incidentes domésticos, não há exceção quanto às leis fazendo assim com que o portador da criatura tenha por obrigação, arcar com as conseqüências quanto a cuidados hospitalares e à prisão por tempo indeterminado por negligência em casos de morte.

Art.32º- Os seres mágicos, por terem ciência de seus atos, estão sujeitos à pena de morte em casos de ataques violentos que levem a morte de todo aquele ser que estiver presente no meio social, em casos à parte, como vampiros ou outros que necessitem praticar atos ilícitos para sua sobrevivência, o caso será analisado parcialmente.

Art.33º- Os mesmo estão sujeitos à serem levados à morte ou a prisão em todo e qualquer momento que apresentem hostilidade e/ ou periculosidade, estando a partir de então, sob jurisdição do Ministério da Magia que não se responsabilizará caso o acusado tenha sido atacado por terceiros sob o ato de defesa pessoal.

Nota: Originalmente escrito por Lucius Malfoy[2]. Simplesmente eu dividi por artigos. Créditos e Méritos somente para ele.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória